Risco de extinção – 20 espécies

O risco de extinção torna a batalha de preservação dos animais muito intensa. Muitas entidades de proteção aos animais pressionam os governos a adotarem leis de preservação mais rigorosas, o que poderia contribuir para a proteção das espécies ameaçadas de extinção.

 

Há alguns anos atrás, por exemplo, vários grupos reuniram-se com autoridades chinesas e conseguiram sua cooperação em esforços para pôr fim à captura dos ursos-negros-tibetanos. Esses animais eram capturados para a extração da bílis e da vesícula biliar, utilizadas na medicina tradicional do Oriente.

 

Risco de extinção – ajuda internacional

Proteger uma espécie num país, mas caçá-la até à extinção em outros lugares, é um mau sinal no que diz respeito à sua preservação. É por esse motivo que os acordos internacionais vieram na hora certa. E existem muitos! A Convenção Sobre Biodiversidade, o Tratado do Rio, entrou em vigor no fim de 1993. Alguns dias depois passou a vigorar o Acordo Para a Preservação dos Morcegos na Europa. A Comissão Internacional da Baleia criou um santuário de baleias no oceano Antártico, além do que já existia no oceano Índico, no esforço de proteger baleias grandes e baleias mink. Mas o acordo de mais peso talvez seja a Convenção Sobre Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas de Extinção.

 

O homem ainda tem muito a aprender sobre a relação de uma criatura com outras no reino animal. Os pescadores da África Oriental que introduziram a perca-do-nilo no lago Vitória, a fim de incrementar suprimentos de alimento, desencadearam o que o zoólogo Colin Tudge chamou de “o maior desastre ecológico deste século”. Cerca de 200 das 300 espécies de peixes nativos daquele lago foram extintas. Embora recentemente se tenham apresentado provas que põem na erosão do solo a culpa pelos transtornos causados ao equilíbrio das espécies, agora os governos dos três países, que têm fronteiras no lago, criaram uma organização cujo objetivo é determinar que espécies de peixe podem ser introduzidas no lago sem pôr em perigo as espécies nativas.

 

Conheça 20 nomes incluídos nessa lista negra nas fotos abaixo.

 

#1. Tamanduá Mirim
Créditos: Sergio Bavaresco

risco de extinção

 

#2. Coala
Créditos: Wikipedia

risco de extinção

 

#3. Tigre-de-bengala
Créditos: Wikipedia

risco de extinção

 

#4. Atum-azul
Créditos: Estadão

risco de extinção

 

#5. Diabo-da-Tasmânia
Créditos: Wikipedia

5

 

#6. Pinguim-africano
Créditos: Wikipedia

 6

 

#7. Asno-selvagem africano (ou asno-da-Somália)
Créditos: Wikipedia

 risco de extinção

 

#8. Urso polar
Créditos: Wikipedia

8

 

#9. Morsa-do-Pacífico
Créditos: Wikipedia

risco de extinção

 

#10. Tartaruga-de-couro
Créditos: Wikipedia

risco de extinção

 

#11. Gorila-das-montanhas
Créditos: Wikipedia

risco de extinção

 

#12.Borboleta-monarca
Créditos: Wikipedia

risco de extinção

 

#13. Rinoceronte-de-Java
Créditos: Drosophila

risco de extinção

 

#14. Panda-gigante
Créditos: Wikipedia

risco de extinção

 

#15. Elefante-de-Sumatra
Créditos: Wikipedia

risco de extinção

 

#16. Orangotango-de-Sumatra
Créditos: Wikipedia

risco de extinção

 

#17. Leopardo-amur
Créditos: Wikipedia

risco de extinção

 

#18. Tigre-siberiano
Créditos: Wikipedia

risco de extinção

 

#19. Sapo-dourado
Créditos: Wikipedia

risco de extinção

 

#20.Mico-leão-dourado
Créditos: Wikipedia

risco de extinção

Risco de extinção – 20 espécies
Avalie este post

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência e para entender como você usa nossos serviços. Aceito Leia Mais

error: Content is protected !!